Sindicato dos Servidores das Autarquias de Fiscalização Profissional e das Entidades Coligadas no Estado do Rio de Janeiro
Assédio Moral
COOPFISPRO
Agenda
07/11
Assembleia Corecon

09/11
Assembleia OAB

11/11
Ato de protesto no CRECI

15/ 11
Proclamação da República

17/11
Reunião com diretoria da OAB

20/11
Dia da Consciência Negra

22/11
Reunião ACT CREA-RJ

A gestão do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-RJ) voltou atrás na decisão de oferecer aos servidores um Programa de Demissão Voluntária (PDV). O SINSAFISPRO não é contrário a esse instrumento, mas havia ponderado junto à direção e aos trabalhadores alguns pontos a serem considerados.

“O principal deles é a valorização dos anos de suor dedicados à instituição”, enfatiza o presidente do sindicato José Walter Alves Júnior, destacando que inclusive apontou o PDV do Conselho Federal (CONFEA) como possível parâmetro. “Um bom PDV precisa ter bons benefícios para atrair a adesão. Caso contrário, ninguém ia topar, como aconteceu da última vez”

Em sua orientação, o SINSAFISPRO destacava que os consagrados direitos da indenização pelo aviso prévio e a multa de 40% sobre o FGTS deviam ser honrados.

“Melhor desistir, do que apresentar um PDV ruim. Entretanto, os gestores precisam ter vontade de acertar. Lembram do PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários)? Passaram-se treze anos, e nada”, destaca Walter

PDV do Confea

O PDV do Confea ofereceu 1 salário/remuneração básica para cada ano trabalhado e foi oferecido para os funcionários com 60 anos ou mais. Sendo a remuneração básica as rúbricas salariais recebidas regulamente (salário base+ vantagens pessoais incorporadas). Quanto ao plano de saúde para o titular e seus dependentes ficaria ainda válido por 2 anos.