Sindicato dos Servidores das Autarquias de Fiscalização Profissional e das Entidades Coligadas no Estado do Rio de Janeiro
Assédio Moral
COOPFISPRO
Agenda
13/09
Greve no Conselho Regional de Nutricionistas da 4a Região (RJ e ES)

14/09 - 16h
Assembleia Geral do pessoal do Crefono-1 para discutir e votar sobre contraproposta do Conselho

16/09 - 10h
Reunião com o CAU/RJ - GT Regime Híbrido (Presencial x Home Office)

21/09 - 15h
Reunião com o Presidente do Crea para tratar do ACT 2021 e Banco de Horas na pandemia

23/09 - 17h30
Assembleia do pessoal do CAU/RJ para discussão e deliberação sobre ACT 2021 (contraproposta do Conselho)

IMAGEM REPRESENTANTE

Não obstante as manobras do governo golpista de Temer, somadas às recentes investidas da atual administração federal em exterminar os sindicatos, retirando de uma “só solapada” a contribuição sindical, como também criando uma infinidade de arranjos de maldade para dificultar a boa gestão financeira das entidades sindicais, ainda sobraram alguns direitos.
Um deles é o direito à sindicalização do trabalhador e de manter-se filiado ao seu sindicato de categoria, tomando parte nas pautas de interesse da classe profissional. Os sindicatos são os legítimos representantes dos trabalhadores junto aos empregadores e sindicalizar-se significa participar de ações que valorizam as condições sociais de cada trabalhador. É lutar para manter direitos já conquistados e até mesmo para ampliá-los.

Cada um dos avanços alcançados pelos trabalhadores foi fruto de intensa mobilização coletiva, e exatamente assim – com muita luta, foi que os sindicatos fizeram história e trouxeram para o mundo do trabalho as principais conquistas que atualmente são direitos dos trabalhadores, como o vale-refeição, o vale-transporte, o 13º salário, a jornada de trabalho de 44 horas semanais, a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), dentre tantos outros.
Para que um sindicato seja efetivamente forte e tenha, de fato, poder de transformar certas situações é necessário que um número crescente de trabalhadores seja sindicalizado, assumindo também o papel de contribuir e apoiar essa luta, participando das assembleias gerais e discutindo seus variados assuntos, as chamadas ordens do dia.
Por essa razão, entendendo que a direção sindical é uma instância de administração da entidade classista, que precisa dirigir o sindicato, controlar bens, assinar contratos, e também submeter à apreciação e votação da assembleia geral – instância maior de decisão de uma categoria, os resultados de todo esse trabalho da direção, é que precisamos contar com a sua participação, filiado e filiada, para que as próximas ASSEMBLEIAS que irão acontecer dia 07 de JULHO possam decidir sobre dois pontos importantes para a atual diretoria do SINSAFISPRO e para todos(as):
1 – Alienação do carro de som do sindicato;
2 – Discussão e votação das contas dos exercícios 2018, 2019 e 2020.

A união no sindicato torna a luta mais fácil. Cada trabalhador é o elo de uma corrente construída com interesses comuns.
Filie-se, participe das assembleias e contribua com o Sinsafispro!